Importância do gerenciamento de risco no transporte rodoviário

Sem riscos não há recompensas. Esse ditado é um incentivo a ser arrojado, a não temer o risco de modo a prejudicar os resultados. Porém, alguns problemas é bom evitar. No ramo do transporte rodoviário isso é praticamente impossível, pois os certos problemas são inerentes a esse tipo de negócio. O negócio compõe mais de 60% da movimentação de cargas no Brasil. A responsabilidade e o dinheiro envolvidos nesse tipo de atividade são enormes. Por conta disso, os riscos, por menores que pareçam, podem ter Leia mais… »

Desmistificando seguros de carga

Os casos de roubos de cargas pelas rodovias brasileiras têm se tornado cada vez mais frequentes e isso pode gerar muitos prejuízos às empresas e às transportadoras. Uma das formas de tentar minimizar esses prejuízos é fazendo a contratação de seguro de cargas. A grande maioria das seguradoras oferecem esse serviço atualmente. O seguro de carga é tão importante quanto os outros tipos de seguros (veicular, residencial, vida etc.) e as empresas que trabalham com transporte de cargas precisam estar atentas a isso, afinal os Leia mais… »

Variação do frete no agronegócio

O agronegócio é um aspecto da economia que pode ter uma variação elevada nos preços que é influenciada por vários fatores. O clima, por exemplo, condição capaz de aumentar ou diminuir esse valor. Um ambiente favorável, melhora a safra. Já regiões que sofrem com a falta de chuva podem perder lavouras inteiras. Porém, não é só o clima que influencia a agroeconomia. Vamos falar hoje sobre um fator menos comentado, mas ainda assim muito importante. O Frete. Porque é tão importante? O frete é parte Leia mais… »

Subcontratação: o desafio da emissão do CT-e de contrapartida pelo terceiro/agregado

Dia 04/12/2017 a Sefaz deu mais um passo no sentido do controle absoluto dos documentos de transporte: será oficialmente desligada a versão 2 do CT-e e mantida apenas a versão 3. Essa nova versão, entre outros itens, valida muito sobre o processo de subcontratação e redespacho. De forma abrupta inibe a “quarteirização” do processo de transporte já na emissão na documentação, e isso vem gerando diversas discussões acerca das novas preocupações sobre a subcontratação. Para entendermos onde estamos pisando, precisamos pensar com a “cabeça da Leia mais… »

Marco regulatório do transporte (Projeto de Lei nº 4860, de 2016)

Ainda sem uma legislação específica, o setor do transporte rodoviário deve ganhar um marco regulatório até o fim deste ano. Está em trâmite na Câmara Federal o projeto de lei nº 4.860/16, de autoria da deputada paranaense Christiane Yared, que estabelece uma série de medidas que devem ser adotadas por transportadoras, embarcadoras, motoristas autônomos e todas as pontas relacionadas ao setor de logística rodoviária. O projeto está atualmente em uma comissão especial sob análise e, assim que for aprovado, segue para o Senado para ser Leia mais… »

Fidelização na contratação de motoristas autônomos

A primarização vem se tornando cada vez mais comum em vários setores da indústria e o transporte de cargas está entre os segmentos que vivenciam esta mudança. As empresas que decidem otimizar o serviço de entregas e deixar direta a relação produção-consumidor precisam ficar atentas à necessidade de se fidelizar os motoristas autônomos ou agregados. Isso é importante para garantir que sempre haja profissionais dedicados e com vontade de prestar serviços para a indústria. Antes, uma definição rápida dessa palavra estranha, mas que tem um Leia mais… »

Lei do vale pedágio

Motoristas autônomos e transportadoras têm, por lei, o direito ao benefício do vale-pedágio. Conforme consta na lei nº 10.209/01, quem fornece o serviço de transporte tem direito a receber o valor e ele não pode ser incluído no preço do frete, sob pena de multa pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). A partir desta lei, a empresa que faz a contratação do frete fica responsável por pagar todas as tarifas de pedágio que o motorista tiver que passar durante o percurso, que pode ser Leia mais… »

Inovação tecnológica no setor de logística

Investir na área de logística exige muito tempo e dedicação. Aliar disponibilidade de frotas, restrições feitas pelos clientes, estoque em depósito e prazos de entregas demanda muita organização para conciliar todas as informações e otimizar o serviço. Inovações tecnológicas não param de surgir justamente para auxiliar as empresas que atuam neste setor, sempre buscando a excelência na entrega, o cumprimento de prazos e a satisfação do cliente. É importante que o responsável pela gestão desta área se mantenha sempre atualizado com relação ao desenvolvimento de Leia mais… »

Economia e segurança estão entre principais fatores na contratação de motoristas terceirizados

Com referências e contrato específico, terceirização de motoristas pode ser melhor fórmula para sua empresa Os números não mentem: a terceirização do serviço de motorista pode render boas economias para o caixa de sua empresa. Contudo, é preciso observar uma série de variáveis antes de apostar em um trabalhador que preste serviços a sua organização, para que não haja situações posteriores que possam mais complicar que solucionar os problemas. Se você quer adotar essa fórmula na sua empresa, precisará ficar atento a alguns detalhes. Saiba, Leia mais… »

País ainda conta com rodovias precárias, mas empresas como Sinergia buscam dinamizar os processos

Mesmo com pequenos avanços, Brasil ainda encontra dificuldades no investimento em infraestrutura e logística O Brasil é o quinto maior país do mundo em extensão territorial, sendo a sétima economia no Produto Interno Bruto (PIB) de todo o globo. Estes números apresentam a importância da infraestrutura, principalmente no setor de logística. Dados da Universidade Federal do Rio de Janeiro mostram que o país gasta 12,8% do PIB apenas no setor logístico, antes 8,2% dos Estados Unidos. Mas o que esses números expressam? Para responder à Leia mais… »