Fidelização na contratação de motoristas autônomos

A primarização vem se tornando cada vez mais comum em vários setores da indústria e o transporte de cargas está entre os segmentos que vivenciam esta mudança. As empresas que decidem otimizar o serviço de entregas e deixar direta a relação produção-consumidor precisam ficar atentas à necessidade de se fidelizar os motoristas autônomos ou agregados. Isso é importante para garantir que sempre haja profissionais dedicados e com vontade de prestar serviços para a indústria.

Antes, uma definição rápida dessa palavra estranha, mas que tem um significado bastante simples: primarização é basicamente o contrário da terceirização – é o processo em que a empresa decide contratar uma equipe própria para exercer determinada função. Aqui, tratamos deste processo no setor do transporte, que acontece quando uma determinada indústria decide montar sua própria frota para fazer o transporte de seus produtos, deixando de contratar a transportadora que fazia a intermediação entre produtor e motoristas.

Quando a empresa decide adotar este procedimento em uma tentativa de otimizar toda a produção e buscar manter o controle de todas as etapas do processo, pode encarar alguns desafios que as transportadoras já superaram há algum tempo: o contato com o motorista. Por ser um setor bastante informal e que não conta com uma base de dados ou um grande avanço em termos de tecnologia, a empresa que começa a enveredar por este caminho pode encontrar algumas dificuldades na hora de encontrar os primeiros motoristas, e também para mantê-los interessados em continuar prestando serviços depois do primeiro frete.

É neste cenário de dúvidas e incertezas que a adoção de planos de fidelização pode ajudar a resolver pelo menos parte destes problemas. Aqui, vale uma dica de coaching: o que se fideliza são pessoas e relacionamentos, e não profissionais, trata-se de um acordo informal (do contrário, seria assinado um contrato e a fidelização seria formalizada). Por isso, é importante que o gestor de logística da indústria que pretende primarizar o transporte entenda que está lidando com seres humanos neste tipo de operação. Conquistar a confiança e o interesse do profissional é etapa fundamental na contratação de motoristas autônomos.

Existem diversas formas de se fidelizar um motorista e é preciso entender como funciona a cabeça de cada profissional para encontrar a melhor forma de se conectar com o ser humano por trás dele. Uma das maneiras mais comuns de se encontrar em empresas de diversos setores é a adoção de uma espécie de ‘cartão fidelidade’.

Nele, a cada frete completado, o motorista recebe um registro e pode ganhar brindes especiais após um determinado número de contratações. Presentes especiais feitos pela própria indústria ou até brindes comprados pensando em agradar estes profissionais ajudam a fazer com que o motorista tenha vontade de ‘completar sua cartela’ e, ao mesmo tempo, se sinta valorizado quando prestar serviços para esta empresa. Vale destacar que, em pleno século XXI, não é preciso entregar um cartão físico, e o desenvolvimento de aplicativos que possam fazer esses registros pode ser uma saída viável e ‘tecnológica’.

Entregar outros tipos de brindes a cada carga também ajuda a fortalecer a marca e mostrar que aquela pessoa tem valor para a empresa. Pode ser desde uma lixeira veicular em cada carregamento até squeezes ou caixas com alguns snacks ou garrafas d’água: pequenas atitudes podem mostrar comprometimento da parte do contratante e, consequentemente, gerar a reciprocidade da parte do contratado.

Outra forma de manter os autônomos interessados em continuar prestando serviços para sua indústria é oferecer condições de capacitação de motoristas. Os bons profissionais estão sempre interessados em aprimorar suas técnicas para crescer dentro da própria área e também enquanto ser humano, e uma empresa que oferece cursos de capacitação para o transporte de diferentes cargas, por exemplo, consegue pegar justamente aqueles que têm interesse em desenvolver outras qualidades profissionais. Afinal de contas, levar grãos de soja é diferente de transportar produtos químicos, e um bom motorista pode ser capaz de fazer as duas coisas quando bem treinado e capacitado.

O investimento na qualificação de motoristas também é necessário para manter o grupo de profissionais sempre atualizado com todas as políticas de segurança da empresa e também com todas as novidades em termos de legislação de trânsito, ferramentas de segurança nas estradas federais e estaduais e até sobre ações para evitar roubos, furtos e desvios de cargas. Uma empresa que ofereça ao motorista autônomo a capacidade de crescer profissionalmente e almejar novos rumos na carreira também é atraente e se mostra como outra forma de fidelizar motoristas, mesmo os mais experientes.

Outro detalhe que muita gente não percebe, mas que pode ser um diferencial para a empresa que está buscando fidelizar o motorista é entender que a profissão é bastante solitária. Muitos profissionais dessa área são bastante carentes, embora possam negar essa característica, porque passam muito tempo sozinhos e longe da família. É difícil encontrar um plano de fidelização que supra esta ausência, mas estabelecer parcerias para que o motorista possa ter banheiro e chuveiro de qualidade em suas paradas diárias e lugares seguros para passar a noite também podem se mostrar diferenciais importantes.

O planejamento da rota pode colocar essas questões em discussão, justamente para que o motorista saiba que deve parar em determinado estabelecimento, que tem parceria com a empresa contratante, e saber que lá terá serviços de qualidade, um bom restaurante e um local seguro para pernoitar com o caminhão. Lembra do ‘aplicativo de fidelidade’ que falamos há pouco? É possível pensar em uma ferramenta que também faça a integração destes parceiros e ajude o motorista a encontrar os lugares mais confortáveis.

Os planos de fidelização exigem muito estudo e esforço por parte de quem está contratando, mas é inegável que exerce uma função essencial para quem busca tocar o transporte de seus produtos ‘por conta própria’: mostra que sua empresa tem um diferencial na comparação com os concorrentes, atraindo a atenção de potenciais motoristas que estejam atrás de bons fretes e, consequentemente, segurando aqueles que buscam por vantagens e crescimento profissional. Um bom planejamento para fidelizar motoristas vai ajudar a criar uma base de dados e de parceiros na área do transporte de carga.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *